Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Coisas Digitais

Coisas Digitais

17
Jan15

Apple pretende alojar as nossas impressões digitais no iCloud

admin
apple-pretende-alojar-as-nossas-impressões-digitais-no-icloudUma das razões que a Apple vangloria-se no seu Touch ID é de que a empresa não tem acesso às impressões digitais, visto estas serem apenas alojadas no seu iPhone. Sabe-se hoje que as impressões digitais são um dos métodos mais seguros de “password”, visto que a possibilidade de alguém possuir uma impressão digital idêntica é de 1 em 50000 pessoas.Desengane-se quem pensar que a impressão digital é infalível, como comprovou Jan Krissler usando um software específico como o Verifinger e através de fotografias em alta definição conseguiu recriar a impressão digital de Ursula Von Der Leyen, Ministra da Defesa alemã.Uma patente recente da Apple mostrou que a empresa pretende expandir o seu touch id, alojando no iCloud as suas impressões digitais.Se é uma boa política ou não ninguém sabe, no entanto acontecimentos recentes como as leaks de fotos de celebridades nuas alojadas no iCloud, mostraram que qualquer sistema por mais seguro que seja, pode ser atacado por pessoas mal intencionadas.Só de imaginar o estrago que pode ser feito com as nossas impressões digitais na internet, associadas a cartões de crédito deixa-nos bastante apreensivos.Segundo as patentes, o facto de alojar as impressões digitais no iCloud seria apenas para facilitar a troca de aparelhos partilhados por várias pessoas, como por exemplo uma família que é obrigada a partilhar equipamentos como o iPhone ou iPad.A mesma patente fala também no uso de tecnologia NFC e Bluetooth para sincronizar as impressões digitais com equipamentos circundantes, assim como, validar compras apenas com um simples scan da impressão digital. Se bem que há relatos confirmados de utilizadores que conseguiram ultrapassar a segurança do Touch ID, colocar as impressões digitais no iCloud poderá abrir ainda mais a porta aos hackers. Fonte: Geek
30
Dez14

Hacker copia impressão digital a partir de fotos

admin
hacker-copia-impressão-digitalActualmente a moda em segurança são as impressões digitais. A apple foi inovadora com o Touch ID ao que vários fabricantes tentaram “copiar” com sucesso um sensor de impressões digitais sempre pronto a desbloquear, o telefone, um serviço ou uma aplicação.Vários especialistas em segurança informática vêm afirmando que a impressão digital é bastante mais segura do que uma password. Mas a verdade é se uma password for descoberta muda-se facilmente e se uma impressão digital for duplicada? Corta-se o dedo e usa-se outra?!...a partir de agora as coisas acabaram de ficar mais complicadas!Segundo um artigo publicado no The Guardian o hacker Jan Krissler, conhecido como Starbug nas lides da informática, contra o que todos apregoavam, conseguiu replicar as impressões digitais de Ursula Von Der Leyen, Ministra da Defesa alemã.impressão-digital-copiadaKrissler usou um software que se chama VeriFinger e várias fotos tiradas de perto em conferências de imprensa. Uma das fotos foi mesmo tirada pela própria ministra.É provável que a partir de agora todas figuras públicas passem a usar luvas em público.Na mesma conferência onde foi exposta essa quebra de segurança, foi também demonstrado que há uma outra forma de ataque baseada em passwords através da córnea (corneal Keylogger). Com as câmaras de alta definição que existem no telemóveis hoje em dia, o atacante apodera-se da câmera e através dos reflexos dos olhos emula o que é a password “ocular”.O Jan Krissler, já não é novo nestas andanças de segurança biométrica. Quando a Apple em 2013 lançou o iPhone 5S, Kissler conseguiu burlar o touch ID em menos de 24 horas. Na altura o hacker teve de ter acesso físico ao telefone, pelo que agora é possível roubar a password biométrica à distância.Vários especialistas têm afirmado que a forma com olhamos para as passwords biométricas não deverá ser como um substituto das passwords tradicionais, mas sim como uma autenticação de dois factores.

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D